II Café com Livros – Dia 24 a 28 abril de 2013

27 Nov

Imagem

O II Café com Livros – Feira Literária de Viçosa, que ocorreu do dia 24 a 28 de abril contou com diversas atrações artísticas e culturais, mobilizando os moradores de Viçosa e a comunidade universitária. Com o objetivo de oferecer espaço a jovens artistas de Viçosa e região, além de promover diversos debates em relação a temas relevantes para a sociedade viçosense, o evento foi promovido pelo projeto Café Filosófico e Coletivo 103, contando, neste ano, com a participação e o apoio da Prefeitura Municipal de Viçosa.

Durante os cinco dias do evento, foi oferecida ao público uma programação diversificada: lançamentos de livros e conversa com os escritores; mercado de pulgas; espaço dedicado exclusivamente às crianças; oficinas de stencil/grafite e literatura sampler; inúmeras apresentações musicais; exibição de vídeos-poesias; além de debates em torno de literatura, cinema, direitos autorais.

Por meio do evento, foi possível perceber que a criação e promoção de eventos que buscam difundir e resgatar a cultura local são cada vez mais imprescindíveis e necessários. Através da participação interessada e antenada do público, observamos que as pessoas realmente querem – e de forma cada vez mais efetiva – discutir abertamente sobre os temas que lhes são importantes, e a cultura está certamente inserida nessa área.

Fotos do evento: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.365638070203960.1073741827.329471123820655&type=3

Vídeos: http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=wmeEMlcR5o8

http://www.youtube.com/watch?v=2DJxcsVadhU&feature=youtu.be

http://www.youtube.com/watch?v=ASqOQek_eLY&feature=youtu.be

Esporte e lazer pautam agenda de debate do Café Filosófico (26/04/13)

27 Nov

Cartaz de evento - Esporte e Lazer

A prática de esportes está quase sempre relacionada a uma atividade saudável e prazerosa. Mas será que praticar esportes é realmente uma forma de lazer? O último encontro do Café Filosófico abordou essa e outras questões, e contou com a participação de Deyliane Pereira, coordenadora do Projeto Esportivo Segundo Tempo; Ranah Manezenco, professora de Educação Física da UFV; Tommy Wanick, professor do grupo Capoeira Alternativa; além de Antônio de Paula Araújo, mais conhecido como Messias,
técnico de futebol da região.

Ranah iniciou o debate justamente levantando a questão se o esporte pode ser considerado uma forma de lazer e buscou desconstruir tal conceito. Para ela, o esporte existe como uma instituição já fundamentada, mas que, por fazer
parte de diferentes culturas, possui especificidades locais construídas por cada povo. Isso significa que quando falamos em esporte, devemos articular indivíduo e sociedade, ou seja, pensar num todo.

Existem duas conceituações do que seria o lazer, o ócio e o não trabalho. A caracterização do que é lazer e a possibilidade de o esporte se enquadrar nela depende do que cada sociedade considera como sua “hora do não trabalho” ou as características do seu “ócio”. De acordo com Ranah, no que tange à questão da saúde, esse debate pode se prolongar muito, pois se idealiza muito a questão do ser saudável, mas se esquece de questionar para que e para quem é essa qualidade de vida. O esporte é ótimo, afirmou Messias, mas como forma de competição ele pode ser bastante difícil.

O esporte é também realizado na “hora do trabalho”, não apenas no ócio, argumentou Deyliane. Para alimentar o sistema produtivista, as empresas hoje possuem horários voltados para a prática de atividade física entre seus funcionários. O esporte, como um todo, tem sido sempre voltado para o rendimento, seja ele físico, econômico ou competitivo. Não se pratica esporte
simplesmente pelo lazer, visamos sempre algum objetivo, seja enquadrar no “padrão de corpo saudável”, seja ganhar dinheiro ou até mesmo aumentar o rendimento do funcionário da sua empresa.

Tommy é professor voluntário de capoeira desde que chegou a Viçosa e, para ele, o esporte deve ser tratado como uma prática cultural singular de cada sociedade, mas isso não o desqualifica como uma opção de lazer. Ele afirmou que costumamos
considerar nossa hora de lazer aquela na qual não estamos “fazendo nada” ou estamos sentados num bar com os amigos, mas o lazer pode ser algo saudável. A capoeira, por exemplo, é um esporte que proporciona uma qualidade de vida física e mental, e que pode claramente ser vista como uma forma de lazer, por ter um caráter divertido e descontraído. Outro argumento fundamental abordado foi a desvalorização desse esporte em âmbito nacional. Tommy disse que no Brasil existe um bloqueio muito grande frente à prática de capoeira, o que não ocorre em muitos outros países, onde ela é estimulada.

Em relação à questão da desvalorização, obteve-se um consenso entre os convidados. Messias, por exemplo, argumentou que a grande dificuldade encontrada em Viçosa é “fazer funcionar”. Existem profissionais em diversas áreas esportivas na cidade, projetos de extensão dos mais variados, mas existe um “prazo de validade”, pois esses estudantes, quando se formam, vão embora
e não há uma continuidade dos projetos. O que falta, como afirmou Deyliane, são políticas públicas governamentais efetivas que visam uma melhoria dos projetos esportivos, tanto em âmbito estrutural – na construção de espaços para a sua prática – quanto profissional – na valorização destes. Pois, por não existir um prestígio devido, os profissionais da educação física se alocam nas academias de ginástica e deixam as outras práticas esportivas apenas para os momentos do “não trabalho”.

Mas não foram apenas os convidados que debateram o tema! Contamos também com uma participação massiva dos ouvintes,
que indagaram acerca de questões relevantes, como a acessibilidade, o investimento público no esporte de alto rendimento, o antagonismo entre o saber técnico e o saber prático, e também a normatização de um padrão de saúde. “No curso a gente pensa mais
no discurso”, respondeu Ranah, “não se trabalha a prática desse discurso e apenas persiste uma reprodução do já existente”.

Texto: Rachel Dornelas

Fotos do Encontro: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.431097163658050.1073741831.329471123820655&type=3

II Café com Livros

15 Abr

644240_626906317324263_703507172_n

Entre os próximos dias 24 e 28 de abril, acontece em Viçosa o projeto Café com livros: 2ª Feira Literária de Viçosa. O evento é um desdobramento das propostas e atividades do Café Filosófico, projeto de extensão vinculado ao Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Viçosa (UFV), e do Café Literário, evento de literatura promovido pelo Coletivo 103.

Neste ano, o Café com Livros conta com a participação do Departamento de Turismo da Prefeitura Municipal de Viçosa na sua construção, fortalecendo ainda mais a conexão entre Viçosa e a UFV. Espaço para a distribuição do trabalho de jovens artistas (escritores, músicos, atores, fotógrafos, artistas plásticos etc.) e local aberto ao debate em torno de questões urgentes à realidade local, o Café com Livros insere-se no calendário cultural oficial da cidade de Viçosa.

Café com Livros: 2ª Feira Literária de Viçosa é uma realização do Coletivo 103 | Fora do EixoCafé Filosófico e Prefeitura Municipal de Viçosa, apoiada pelo Fora do Eixo Card e a Universidade Federal de Viçosa.

*O Café com Livros: 2ª Feira Literária de Viçosa é aberto ao público e terá toda a sua programação gratuita. Confira: http://migre.me/e8tCz

Café Filosófico discutirá sobre Saúde Pública

6 Dez

CARTAZ  saude publica

O Café Filosófico promoverá neste sábado, dia 08 de dezembro, um debate sobre “Saúde Pública” na Casa Arthur Bernardes, às 18 horas. O encontro, que terá entrada gratuita, contará com a presença da Secretária de Saúde de Viçosa, Rita Maria Gomide; da consultora da Fundação Nacional de Saúde e do Ministério Público, Paula Bevilacqua, que também tem experiência na área de saúde coletiva; da Pró-Reitora de Assuntos Comunitários, a professora Sylvia Franceschini; da Assessora especial na área de saúde da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários, a professora Silvia Priore; e do médico e presidente da Câmara Municipal de Viçosa, Dr. João Batista.

O projeto de extensão da UFV – que já está em sua nona edição -, além do debate, também terá algumas apresentações culturais. Edgar Coelho, professor do Departamento de Educação da UFV, abrirá o evento tocando sanfona. E para encerrar o encontro, haverá a apresentação da banda Mangalô.

O Café Filosófico, por meio dessa iniciativa, busca incentivar a reflexão sobre a realidade local e ampliar a inserção social da universidade. Além disso, o projeto visa estimular a opinião crítica e a produção cultural da cidade e também construir um espaço aberto de debates junto à comunidade em geral, englobando os agentes que estão tanto dentro quanto da UFV. Estão todos convidados!

Trilha da lira: Café com música e poesia

3 Dez

trilha

Em Trilha da Lira, evento promovido pelo Café Filosófico, os poetas Julio Satyro e Bella Mendes apresentam algumas possibilidades do namoro entre poesia e música.

O evento, que está em sua primeira edição, terá início às 17:30 desta quarta-feira, dia 5 de dezembro, e acontecerá no barzinho do DCE, na UFV.

Na primeira parte, a autora de “Como fazer um arco-íris” recita poemas inéditos, ao som do violão de Julio Satyro. Neste momento, a música instrumental acompanha o ritmo e o clima ditados pelas poesias de Bella.

Logo após a apresentação da autora, Julio Satyro recita as poesias do recém-lançado “Balbucio”, ao som de uma trilha sonora especialmente selecionada pelo autor. De Uakti à Thelonious Monk, do brasileiríssimo Saracotia ao frânces extrovertido de Tete Raides, da música colonial brasileira ao mais contemporâneo jazz, Julio oscila entre silêncios, gritos e balbucios da sua busca por uma linguagem nova.

O microfone fica aberto, em seguida, para quem quiser apresentar suas poesias próprias ou de seus autores preferidos, ao som do violão e das viagens musicais de Julio Satyro.

O evento antecede o encontro do Café Filosófico que acontecerá neste sábado, no dia 08 de dezembro, às 18 horas, na Casa Arthur Bernardes. No encontro será promovida uma discussão sobre “Saúde Pública” e acontecerá a apresentação de algumas atrações culturais. Desde já, sintam-se todos convidados.

(Informações: Isabella Mendes Freitas)